Meun SOL Jornal SOL
Sociedade

Livros escolares podem ultrapassar os 250 euros por aluno

21/08/2014 14:44
Livros escolares podem ultrapassar os 250 euros por aluno

As famílias com filhos em idade escolar vão voltar a ter uma despesa elevada com manuais escolares que poderá ultrapassar os 250 euros, principalmente se frequentarem o 3.º ciclo ou o secundário.

O preço dos manuais vai aumentando consoante os alunos vão avançando no ensino

Segundo um levantamento feito pela Lusa, o custo dos manuais vai aumentando consoante os alunos vão avançando no ensino.

"Os preços são praticamente incomportáveis para a maioria das famílias. O único nível de ensino com menos problemas é o 1.º ciclo, onde o valor é mais baixo", disse à Lusa Isabel Gregório, presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE).

Quando entram pela primeira vez para a escola, os três livros das disciplinas principais - Estudo de Meio, Matemática e Português - custam cerca de 25 anos, mas no 2.º ano, o preço dos mesmos já sobe para 27 euros.

A subida vai sendo gradual e ligeira atingindo os 33 euros no 4.º ano do 1.º ciclo.

"Este ano, o custo dos manuais escolares é sensivelmente o mesmo que no ano passado", disse à Lusa o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), Jorge Ascensão, sublinhando tratarem-se, mesmo assim, de valores muito elevados.

Quando os alunos chegam ao 2.ºciclo, a factura dispara para os 150 euros, segundo o levantamento da Lusa que contabilizou os quatro manuais de educação física, musical, tecnológica e visual.

Mas é no 3.º ciclo que se nota o maior aumento: no 7.º ano, uma família pode gastar cerca de 260 euros em manuais, valor que desce para 250 euros no 8.º ano e para 230 euros no 9.º ano.

Ao passarem para o ensino secundário, o número de disciplinas diminui mas o preço dos livros aumenta, sendo raro encontrar manuais a menos de 25 euros (à excepção de Educação Moral e Religiosa, que custam menos de dez euros).

Uma família com um filho no 10.º ano precisa de cerca de 220 euros só para fazer face a estas despesas. No 11.º ano, os livros custam 270 euros e no último ano do ensino obrigatório, a factura desce para os cerca de 200 euros.

No secundário, entre os manuais mais caros encontram-se os de Matemática B, que passam os 40 euros, História da Cultura e das Artes (37 euros) e Educação Física (cerca de 33 euros).

No entanto, não basta comprar os manuais, lembrou Jorge Ascensão.

Segundo as contas da Confap, "por criança, uma família que tenha que comprar todo o material gasta entre 400 a 500 euros, sendo que cada vez mais há um reaproveitamento do material escolar, como a mochila, estojo, borrachas ou compassos".

Lusa/SOL

Ver comentários
Esconder comentários
comments powered by Disqus
Na primeira página